Este coração
José Geraldo Martinez





 Este coração
bate, descompassado,
um bolero, em melodia.
Canta apaixonado,
em plena luz do dia.
Escancara meus olhos,
com brilho intenso de
pura alegria!
Arranca-me sorrisos
e poesias...
Deixa-me assim, meio moleque,
por querer pintar nos muros,
seu nome bem grande.
No tronco dos arvoredos,
corações em canivete...
Roubar você, aprontar correria.
Causar alvoroço,
em qualquer delegacia.
Passar a noite, em claro.
Fazer amor no carro !
Ou quem sabe na praia?
Pintar o sete,
dançar à luz da lua.
Este coração pivete
que de amor floresceu...
Bem melhor se não tivera !
Pobre mundo que o carrega,
com este incorrigível defeito!
Pobre de quem não tem,
um igual ao meu, dentro do peito.
 

 
 

Este coração!
Fanete Costa 




Meu coração moleque
Não tem regras nem idade quando ama,
Canta, faz balé e dança samba.
Se apaixonado
Ama tudo e há todos toda hora.
Se  feliz, aceita todo ritmo e melodia
E em total sintonia com o universo
Sincroniza-se em total êxtase pela vida!
Faz-me ficar bobona
Perdendo a razão e o chão.
Meus olhos tornam-se espelhos
Dessa beleza interior
Como o desabrochar da beleza de uma flor...
E por conta do amor,
Volto a ter meus quinze anos...
Com direito até frio no estomago.
Suando até com um toque de mão!
Sinto vergonha e fujo do olhar!
Mas quando mulher...
Ninguém mais apaixonada.
O coração é moleque,
Mas do amor sente todos os efeitos...
Seria eu feliz se ele não sentisse desse jeito?
Ele já veio pronto para amor e desamor,
Será que amar assim é defeito?
 

... Ele rega a alma, rege minha vida!
Não mantenha o seu, preso dentro do peito!!!
 


 

                                                        

É proibida a reprodução total ou parcial do material contido
neste site sem a expressa autorização do autor.
Copyright©2012, Fanete Costa

Designer  Fanete Costa                                         Webmaster corcel negro.®