Fechando a porta.
"Abrindo a porta" 




 


Tantas vezes você se foi e nem sei mais quantas voltou!
Meus braços sempre abertos
Sempre a tua espera aqui sempre encontrou,
Da menina,
Da amiga,
Da companheira,
Da mulher.

Fui no receio de te perder
Diante da distancia do teu olhar.
Retornava para os teus braços
Mas não sentia o calor que vinha buscar
A mulher me escapava
Numa distancia imensa!

O recebia sem me importar comigo,
Sem saber nunca de onde vinha ao certo.
Para você, sempre meu coração esteve aberto,
E nunca me questionando se isso era certo.

Tinha o coração em sobressalto
Olhava nos teus olhos
Procurando a chama que almejava
Não via...
Ficava perdido nos meus sentimentos.

Dei-te tanto amor!
Me deste tanta paz!
Hoje os efeitos por deixar que tudo acontecesse assim,
Estão refletindo e a doer em mim,
Aos poucos foi abrindo uma distancia

E nessas idas e voltas tantas
Na procura incessante do amor que dizia sentir
Não mostrava declaradamente a mim.
Se retraía...
Enquanto eu me afastava mais uma vez.

E por você,
Meus defeitos ficando todos óbvios.
Já não sorri com a menina
Tudo é pretexto para magoar a mulher
Não entendo essa vontade de machucar.

Falo o que sinto e vejo
E isso te machuca
Só não entende que mais à mim machuca
Esse teu jeito obscuro de amar!

Antes eu era o substantivo mais belo
Que nossa língua pudesse alcançar.
Da sua frase predileta era o verbo principal
Hoje apenas o adjetivo que sua frase completa,
E isso me fez repensar em tudo
E cuidar da minha vida como principal meta.

Antes se mostrava prá mim
De maneira plena.
Se fazia a mulher mais bela
Que tudo era tão pouco para te expressar.
Esqueceu disso tudo
Cuidou da vida...esqueceu de cuidar de mim

Teria de decidir por um de nós dois,
Ou vivia você e eu me anularia,
Ou escolheria a mim,
Para que não fosse esse o meu fim.

Não nos entendíamos...
Enquanto tanto pensava que me dava
Eu também pensava que dava tudo de mim.
Nos perdíamos sem querer...

Decidi que os dois viveriam,
Mas para não maltratarmos mais o nosso amor
O homem sairá do meu coração
Permanecendo apenas o amigo.

Fui embora...
Você quis assim!
Querendo nos poupar
Arranhou o nosso amor.

Virão dores, saudades, já não importa.
Para esse meu sofrimento ter um fim,
A partir de agora não cuidarei apenas de você,
Mas principalmente de mim.

Sofreremos de tudo um pouco
Você aqui, me querendo
Eu de longe, te querendo tanto
Mas não falamos a mesma linguagem
Melhor assim...Um distante do outro.

E para as dores que isso me causava,
Sentirei muito por você,
Mas principalmente por mim.
Para essas, fecharei a porta, por você e por mim.

Botaremos fim a um tanto que seria imenso
Deixando que as dores façam festa
Queria abrir todas as minhas portas
Mas você, fechou a tua prá mim.
Triste fim
...
Será?

Fanete Costa

Marcos Sergio T. Lopes

 

                                                        
            
É proibida a reprodução total ou parcial do material contido
neste site sem a expressa autorização do autor.
Copyright©2011, Fanete Costa
 

Designer  Fanete Costa                                                    Webmaster corcel negro.®