Chantagem emocional
 Chantagista e Chantageado

Primeiro vou contar uma experiência minha; infelizmente não poderia dizer que não hajam outras, mas essa foi definitiva para que eu tivesse o conhecimento que chantagem emocional muitas vezes é involuntária, o que não muda em nada o efeito que causa no chantageado.

Aos dois anos e meio de idade, meu filho mais velho apresentou um quadro que me deixou apavorada; ao querer muito algo que lhe era negado ou mesmo ao sentir uma dor quando caia, ele desmaiava e ficava roxinho e molhadinho de suor, nem saberia dizer o que senti na primeira vez, só lembro que não foi nada de diferente de puro desespero. Levei ao Pediatra varias vezes, mas não aceitava quando ele dizia que era um caso corriqueiro de criança voluntariosa que queria chamar a atenção. Assim aconteceu mais uma, duas, três vezes e o Pediatra não tinha nada mais a fazer, a não ser encaminhá-lo a um Neuropediatra e ai foi que a coisa ficou tenebrosa; ao chegar no consultório o medico falou: mãezinha, paizinho, saiam da sala e me deixem a sós com ele...sou teimosa e resisti, o que de nada adiantou, ou eu saia ou ele não atendia. Sai, né? Ao perceber que saímos meu filho começou a gritar, eu diria que por uma meia hora e então eu pensava; bem que mãezinha diz que criança faz a mãe mentir; nossa, em momento algum ele tomou o choro como é popularmente dito, não desmaiou. Conclusão: meu filho tomava o choro quando com raiva ou quando com dor e para chamar à nossa atenção... Eu sempre trabalhei fora e isso foi uma das causas, ser arrancado dos meus braços todas as manhãs. E o remédio pra isso, Doutor? Parece mentira, mas o medico falou simplesmente; se nessas duas situações, dor ou ‘querer’, não houver uma situação de risco, deixe-o sozinho onde estiver e saia de perto. Até hoje não sei como, mas na primeira chantagem eu fiz o melhor pro meu filho; eu o deixei no chão desmaiado e ele voltou o choro sozinho e essa foi a ultima vez. Não aceitando a chantagem não haverá chantageador, foi isso que o medico diagnosticou e estava corretíssimo.

A palavra chantagem denomina o ato de ameaçar apelando para o medo do outro... a mais comum é no seqüestro e muitas vezes no próprio trabalho...chefe e subordinado. Isso seria mais para o lado da chantagem puramente criminosa.

Já a chantagem emocional é diferente porque o chantageador mexe com nosso lado emocional diariamente e por incrível que pareça o chantageador nos gosta e faz isso mais por se apavorar quando pensa em nos perder... os filhos gritam com os pais e muitas vezes os compara com alguém da família, como um tio, um avô, dizendo....você bem que poderia ser igual a fulano ou sicrano, eu não gosto de você e quando eu tiver meus filhos eu não serei igual...eles não sentem nada do que dizem....querem apenas provar nosso amor incondicional e só nos resta ter uma boa dose de serenidade para administrar isso sem exageros pro sim ou pro não...mostrar simplesmente que os amamos seja do jeito que eles são.

Mas também existem os casos que ocorrem entre marido/mulher afetando toda família e como é triste! O uso de filhos para segurar uma relação, por exemplo. Agressões emocionais, silêncios que geram torturas sem tocar um no outro, palavras que ferem mais que punhal. Quando não se pode sair desse ciclo vicioso por ter de se conviver com o chantagista em questão, todos acabam doentes. O amor vai dando lugar ao pavor, o pavor à revolta, a revolta à dor e isso tudo a opressão, deixando o  coração do apavorado sem saber que rumo tomar...há pessoas que chegam a ter vontade de sumirem da face da terra,  por não encontrarem uma janelinha ou uma porta de saída.

Diante de todos os tipos de chantagens existentes, não cabe aqui dizer os ‘porquês’ de se chegar a chantagem, até porque não sou especialista no assunto, mas lembrar que existe sempre alguém mais forte de espírito e com isso com mais capacidade de ‘buscar’ a cura para o chantageador e para si próprio, o chantageado. Até porque isso parte mais de pessoas ligadas a nós, por serem de laços familiares ou do coração. Essa ajuda está nos quatro cantos do mundo; profissionais que estão capacitados a dizer quando e onde se pode dizer um NÃO, a dar um BASTA.

Tudo começará a se resolver com uma atitude apenas...manter a fé “Naquele” que acreditamos e pensar que estamos aqui para no mínimo, tentarmos fazer a nossa parte...sermos livres, então chegou a hora...que está esperando?
 

Por Fanete Costa

 
                                                                        

 

É proibida a reprodução total ou parcial do material contido
neste site sem a expressa autorização do autor.
Copyright©2012, Fanete Costa

Designer Fanete Costa                                                    Webmaster corcel negro.®