Remendos e cicatrizes do nosso coração

 

Trabalho em um Hospital de coração e quando vejo esse órgão vital do corpo humano, me  ponho a pensar: cérebro/razão, coração/emoção. Nossas vidas estão pautadas nisso. O que é certo? Deixar o coração comandar e muitas vezes ver o estrago mais adiante, nossa luta incessante por nossos sonhos mais lúdicos e emocionais ou usarmos apenas nossa razão para o alcance de nossos objetivos práticos?

Muito fácil optarmos pelo palpável, por aquilo que vai acontecendo de acordo com o que vamos tecendo, construindo e se não desse certo nos aprimorarmos, estudarmos estratégias para tentar novamente e desta feita com mais conhecimentos e objetividades. Mas o que seria isso? Uma vida sem emoções? Na emoção está não apenas nossa garra de viver, mas uma coisinha primordial que nos alavanca para frente; a esperança... Sem ela não existe motivação alguma nem para sermos práticos e usar a razão. A esperança é realmente o tudo em nossas vidas. 

É evidente que existem as pessoas chamadas frias e calculistas, essas que não vêem á sua frente ninguém quando busca o topo e acham que todos os fins justificam os meios para que apenas elas consigam, não espera na fila a sua vez, mas, até para elas, existe a esperança de conseguir, mesmo sendo usada uma esperança distorcida,  e é claro que essas pessoas não conhecem o significado da palavra consciência. 

Ao deixarmos aflorar a emoção, permitimos que com ela venha uma serie de sentimentos, nos quais não se pode tocar, manipular ou mesmo se ter bom senso  e controle sobre si. Isso se chama liberdade, embora fiquemos presos em doces teias totalmente desconhecidas; a partir disso quem comanda é Ele, esse importante termômetro de felicidade ou não, mas totalmente soberano sobre nós mesmos: o coração. 

Eu iria mais longe, diria que o coração comanda totalmente a minha vida. Tenho um coração que ama desmedidamente e impulsivamente, tendo a sensibilidade à flor da pele... E quantos estragos essa falta de razão na hora certa têm feito a esse meu coração que não pensa nunca em mim! Radical na minha maneira de me expressar, sensível no sentir ou no perceber quando algo está errado, minha razão chega e diz o que está errado, acontecendo e tento buscar todas as respostas e, mesmo encontrando-as, mostrando-as ao coração, ele não dá colher de chá... Tipo... É sofrer com isso ou sofrer sem... Escolha você... Eu permanecerei a postos... Agora é com você. Opto por deixá-lo bater livremente. Claro que falo das minhas experiências de vida mas, cada um tem a sua... O que nos torna iguais são os sentimentos...diferentes é a forma de encará-los e senti-los. 

Alguém me falou essa semana que o ódio é a impossibilidade de ser amado ou amor frustrado, mas a mesma coisa do amor, claro que discordo... Minha maneira de demonstrar amor é leve, inteira... Minha maneira de sentir frustração por não ser correspondida é um sofrimento imenso e só meu...nunca faria alguém que amo sofrer; nunca permitiria que outrem maltratasse ou falasse mal de quem gosto...no entanto, reconheço os defeitos, muitas vezes os pinto de um colorido diferente para que eu possa ver apenas o lado bom dos entes queridos...eu também tenho meus pequenos grandes defeitos, como algumas qualidades e as aprimoro porque quero ser lembrada pelo melhor de mim. 

Falei, falei e não disse a que vim... Ah... Segundo meus amigos eu também falo muito... Mas sempre preferi assim, sou uma escorpiana que não aceito nunca ser mal interpretada... O porquê de sempre explicar ao máximo; posso errar, mas faço o outro entender o porquê...

O som do silencio em certas horas é algo que fere mais que espada pontiaguda... Primeiro pela dúvida, segundo porque interpretar o que o outro está guardando apenas para si, é uma grande responsabilidade e com 99% de probabilidades de errarmos e não me permito ser injusta. 

Pelo que perceberam, minha emoção rege a minha vida e minha razão castiga-me ao me fazer reconhecer as oscilações de sentimentos do outro para comigo.

Muito bem, o que quero dizer exatamente é o seguinte:

Não controle suas emoções ao ponto de deixá-la uma pessoa fria e sem esperança.
Use a razão para ministrar melhor o emaranhado de sentimentos que é amar, sentir raiva, extinguir  as mágoas, perdoar o outro e principalmente a você quando erra. Permita-se continuar VIVO(A).

Só assim conseguirá fazer os remendos necessários em seu coração e continuar a amar com esperança ou manter a esperança de ser amado (a)

Inevitavelmente virão as cicatrizes... Mas elas ficarão com um nomezinho escrito sobre elas... Experiência... Mas experiência como ser humano... Nunca como subsídios para usar  com pessoas diferentes... Cada um é um ser... Cada ser, uma personalidade única... Ninguém erra igual, apesar de todos nós termos nossos erros.

Minha mãe, sempre falava;
Minha filha, aquilo que não mata, nos fortalece. Estou nesse mundo para amar e ser amada, para evoluir como pessoa e não tem como me livrar das conseqüências disso, assim como sei que no final, continuarei apenas uma aprendiz da vida e reconhecendo ter sempre algo a aprender.

Por Fanete Costa


                               

É proibida a reprodução total ou parcial do material contido
neste site sem a expressa autorização do autor.
Copyright©2012, Fanete Costa

Designer Fanete Costa                                                    Webmaster corcel negro.®