Vidas paralelas

 






Não sei o que o tempo reserva

Nem tento entender o porquê

Eu sigo o brilho sol

E o brilho segue você...

 

 Você vem e vai com o vento

Eu deixo o tempo passar

Você é tormenta, explosão

Eu sou o momento, ilusão

 

 Seguimos como paralelas

Riscando o caminho com giz

Seu risco é corrido, ligeiro

O meu tal e qual cicatriz

 

 Eu sento no meio da festa

Você quer dançar e pular

Eu vivo na beira do espaço

Você o espaço a ocupar

 

 Opostos, mais tão parecidos

Grãos de arreia, ondas do mar

Você sonha em vida corrida

 Em sonhos, eu vivo a te amar

 

 Almir Capthor

                                                  
 

É proibida a reprodução total ou parcial do material contido
neste site sem a expressa autorização do autor.
Copyright©2012, Fanete Costa

Designer Fanete Costa                      Webmaster corcel negro.®